Deslivros:Como ser um funcionário público honesto e eficiente

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa
Não mostrado na imagem: Os fuzileiros ameaçando que quem não sorrisse ia levar bala.

Este artigo é parte dos desmanuais, seu acervo de instruções livres de conteúdo. Nuclear-explosion.jpg

Nas sociedades modernas, como todo nerd sabe muito bem, existem 3 setores da economia. O primário, o secundário e o terciário. Só que, já notaram que nem os livros de História, e muito menos os de Economia falam do chamado quarto setor? Pois é, mané, este é o Serviço Público, mas que, como todos sabem muito bem, estatisticamente não existe. Talvez seja por isso que não são nem sequer dignos de menção nos livros mencionados no artigo.

Einstein definiu como ninguém as características do Funcionalismo Público no Brasil, na sua Teoria da Relatividade. Um dos postulados desta teoria informam como se formam os buracos negros, tão familiares no nosso dia a dia, seja na Câmara de Vereadores, na Prefeitura, no Senado, ou no Incra do Acre. Este buraco negro é responsável, como quarto setor, por foder com os outros três, a$pirando $$ tudo $$ para dentro de si, transformando-o numa microscópica massa disforme conhecida como singularidade, popularmente conhecida como corrupção.


Objetivo[editar]

O objetivo deste Deslivro é (des)informar você, que já faz parte desta bandalha nobre carreira, e a você, que está se ferrando pra se tornar um, sobre como "fazer a diferença".

Concurso público[editar]

A primeira lição que se deve aprender é entrar no serviço público através de concurso público e não de apadrinhamento político, e quando fazer concurso público decorar estudar todo o conteúdo, para não ficar dando lucro para as bancas, também não seja idiota de chegar atrasado no horário da prova.