Dossiê Cayman

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa
Pinoquio.jpg
Dossiê Cayman é extremamente mentiroso!


Clique aqui e veja outros narigudos.

Andava a dizer que o Brasil podia ser salvo.

Collor com o dossiê na mão, fingindo que não é nada demais...

Favor não confundir com aquele outro dossiê dos aloprados...

Dossiê Cayman foi um bocado de documentos que não provavam nada. Nem mesmo que o Coringa era um filho da puta. Nesse dossiê revelado ao público em 1998 na época da eleição de 1998 pra poder queimar com o cu da turma da tucanada, em especial o então presida reeleito FHC, o então reeleito governador de SP Mario Pé-na-Cova, o comedor-mor Zé Serrote e o já finado e presuntão Sérgio Motta.

Nesse dossiê dizia que esses quatro aí teriam feito um bagulho que o nome técnico é elisão fiscal, mas prefiro chamar de "tiraram grana escondidinho e puseram num paraíso fiscal nas ilhas Cayman". É mais longo, eu sei, mas qualquer imbecil entende assim. Aliás, só entendi quando me disseram desse jeitinho. Quem criou essa mizera obviamente queria foder com os candidatos mais fortes, e assim criou um monte de supostas provas de que John Mirolha, piloto do Força Aérea Um, teria nas mil e uma viagens do FHC levado um bocadin de money pros paraísos caribenhos pra tomarem um bronze por lá e ficarem de boa sem pagar um puto de impostos.

Esse papinho aí logo atraiu um monte de candidatos ou tentativas de candidatos, como Paulo Maluf e Fernando Collor. Outros, como Lula e Marta Suplicy, até deram uma lidinha no documento, mas logo viram que ia ser uma furada pegar nessa bomba - apesar que sempre que podem, ATÉ HOJE falam que provavelmente tudo aquilo tinha lá um fundo de verdade...

Daí a revista Veja divulgou a bomba, uma semana depois de também divulgarem a ladroagem no BNDES durante a venda da Telebras. Embora esse escândalo do BNDES tenha sido comprovado (e, advinha, não dado em porra nenhuma né), o dossiê no fim foi comprovado como um monte de garranchos escritos por Seu Creysson e, alguns dizem, por Tiririca e Lula, o que levou todos a perceberem que era tudo uma grande merda falsificada. Até um pastor tava no meio: o então reverendo da igreja Presbiteriana Caio Fábio D'Araújo Filho, que à época recebia uma ajudinha do PT por fora, em especial pra ninguém saber que ele comia a secretária sem a esposa dele saber. Quando a farsa caiu, o PT tirou logo o deles da reta (até porque pouco tempo depois iriam aparecer umas merdas cabulosas envolvendo dois prefeitos petistas que ficaram com a boca cheia das formigas após consumirem uma overdose de ovomaltine e alguns tiros de levis) e daí o Caio acabou descoberto e até descobriram também a putcharia no gabinete pastoral, o que o levou a ser expulso da igreja e virar o porra louca que ele é até hoje.

Ver também[editar]