Floriano Peixoto

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa

Nota: Se procura pela cidade gaúcha consulte-nos Floriano Peixoto (Rio Grande do Sul)
NovoWikisplode.gif
Para os neo-ateus que preferem acreditar em mentiras, os supostos experts da Wikipédia têm um artigo sobre: Floriano Peixoto.
Essi artigo é cabra macho!

Aqui si fala com sutaque nordestino, si toma cachaça, si come rapadura e se podi ti furar com pexêra si tu pensá em futucá ele, visse?

Note: não se avexe em por mais coisa nessa muléstia.

Nordeste.jpg
Pra os direitistas.png ESTE ARTIGO TRATA DE REPRESSÃO E DITADURA

Você deve aceitar calado(a) o que está escrito aqui sem duvidar de nada,
ou correrá o risco de sumir misteriosamente.

Desciclopédia: ame-a ou deixe-a!
Ditaduratumulo.jpg

Cquote1.png Você quis dizer: O segundo maior filho da puta da história do Brasil Cquote2.png
Google sobre Floriano Peixoto
Cquote1.png Você quis dizer: Fullmetal Marshal Cquote2.png
Google sobre Floriano Peixoto
Cquote1.png Você quis dizer: Sarita Cquote2.png
Google sobre Floriano Peixoto
Cquote1.png Você quis dizer: Presidente Maligno Cquote2.png
Google sobre Floriano Peixoto
Cquote1.png Minha espada é maior que a sua! Cquote2.png
Floriano Peixoto sobre Deodoro da Fonseca
Cquote1.png Daqui não saio, daqui ninguém me tira! Cquote2.png
Floriano Peixoto sobre Revolta da Armada
Cquote1.png Um antecessor nada prudente Cquote2.png
Prudente de Moraes
Cquote1.png Eu vou matar todos esses gauchos viados!!!!!! Cquote2.png
Floriano Peixoto sobre Revolução Federalista
Cquote1.png C-4,D-7, afundei um encouraçado! Há! Afoguem seus filhos da puta Cquote2.png
Floriano Peixoto sobre Revolta da Armada
Cquote1.png Marechal de Ferro?! Espada?! Eu sabia que ele cortava dos dois lados! Cquote2.png
Sulista derrotado sobre Floriano Peixoto
Cquote1.png Filho da puta! Assassino! Cquote2.png
Catarinense derrotado sobre Floriano Peixoto


Floriano Peixoto
Floriano Peixoto doido.jpg
Floriano durante seu internamento no hospício
2.º Presidente de Brasil
No cargo
23 de Novembro de 1891
15 de Novembro de 1894
Vice-presidente Ele mesmo, seu imbecil
Primeira-dama Josina Vieira Peixoto
Antecessor Deodoro da Fonseca
Sucessor Prudente de Moraes
Pessoal
Nascimento 1 de abril de 1839
Cabrobró, Paraíba
Morte 29 de Junho de 1895
Corno Manso, Rio de Janeiro
Profissão Militar
Partido Nenhum
Floriano Peixoto, o "Cara". Essa era uma figura comum nas igrejas florianistas do fim do século XIX

Floriano Antônio Vieira Stark Peixoto (Maceió, 1 de Abril de 1839 — Corno Manso, 29 de Junho de 1895), foi um militar, político, inventor, ditador e jogador de batalha naval brasileiro. Foi o primeiro nº2 da República Brasileira e o 2º Presidente. Ficou conhecido pela alcunha de "Homem de Ferro" ou também como "Iron Marshall", o "Homem de Ferro da armadura cinza".

Biografia[editar]

Nascido em Cabrobró, em 1838, como a grande maioria das pessoas da época, ele teve uma infância chata e sem graça em algum lugar emo do país, onde não havia nada para fazer visto que não havia sido inventada a televisão, cinema ou danceterias. Como toda pessoa nascida nesse período, seus feitos iniciais foram completamente ignorados já que todo o foco ficava destinado as escapadas-sifílicas de D. Pedro I, aos estudos de Javanês no colo de algum negão de D. Pedro II, ou a reputada (putada) feiura das Imperatrizes, sendo que a única cidade que importava era Coruscant Rio de Janeiro, centro do Império

Guerra do Paraguai[editar]

Quando mais velho ele serviu na Guerra do Paraguai (e quem não serviu?) onde seu principal passatempo era fazer piadinhas com nome a nacionalidade francesa do Conde D'Eu, a barba do Almirante Tamandaré e o cavanhaque do Duque de Caxias e ém claro o que ele mais amava: chacinar paraguaios (na realidade ele gostava de chacinar qualquer tipo de pessoa. Aliás, gosto não se discute).

Detestava o imperador vida-mansa carioquinha, pois durante a Guerra do Paraguai, ele tinha sido pego juntamente com os outros com uma piadinha sobre franceses e falta de banhos, se ferrando legal. Participou do movimento para banir o Bom Velhinho Portugay do Brasil, e sua filha a Prinfeia Isabé, mas o principal motivo era ficar livre do viadaço Conde D'Eu, que queria-porque-queria ser enrabado pelo ferro do Marechal de Ferro.

Cquote1.png Lugar de mulher é na cozinha! Cquote2.png
Floriano Peixoto sobre Princesa Isabel
Cquote1.png Sai pra lá gambá! Cquote2.png
Floriano Peixoto sobre Conde D´Eu


Vice Presidência[editar]

Floriano não fez muita coisa como vice-presidente, seguindo portanto devidamente as funções do cargo, apenas fica dando declarações sobre taxas de juros, especulações, e cavalos. Durante a maior parte de tempo ficava em seu gabinete jogando batalha naval, o que seria muito útil nos dias que estavam por vir.

Presidência[editar]

Depois que o desgrenhado do Marechal Deodoro saiu da presidência, brigado com Marechal Floriano, que havia feito piada da barbona do Deodoro, ele assumiu o Comando-Geral dessa pôrra-toda. Tratou logo de botar as manguinhas de fora (distribuindo tabefes e sopapos) e mostrar para que veio, começava de fato a República da Espada. "Espada", suspirou baixinho Conde d'EU, com um sorrisinho malicioso.

Revolta da Armada[editar]

O primeiro grande desafio de Floriano como presidente. Saldanha do Vasco da Gama, estava insatisfeito com o andar do bonde (soldo de merda que mal podia pagar as putas do porto), e como a vida no Brasil era um tédio (né, Conde d'EU?), resolveu praticar o passatempo preferido da América Latina, rebelião, cerveja e foguete. Floriano entrou na dança e logo os dois começaram uma grande partida de batalha naval, a maior da história do Brasil. Floriano venceu com a infantaria e o Almirante perdeu 2 destroiers, 4 corvetas, 1 encouraçado e 3 fragatas, só não perdeu o porta-aviões pois estes não haviam sido inventados.

Revolução Federalista[editar]

Vencida a partida de batalha naval, Floriano novamente ficou entediado, quando estourou uma rebelião no sul. Sem ter o que fazer de melhor, o presidente resolveu intervir na briguinha de comadres sulista. Venceu, mas ficou com a reputação marcada pelos constantes ataques dos rebeldes a sua sexualidade. Devido a sua dureza e frieza (ui!) ele ficou conhecido como o "Marechal de Ferro" (ui! ui!). Conde d'EU gozou nessa hora. A prinfeia fingiu que não viu.

Cquote1.png Presidente Floriano é macho, tchê! Cquote2.png
Pica-Pau sobre Floriano Peixoto
Cquote1.png Tão macho, que até embaixo de outro macho, tchê! Cquote2.png
Maragato sobre Floriano Peixoto
Cquote1.png Cala boca seus gaúchos viados!!!!!Vou chacinar vocês Cquote2.png
Floriano Peixoto sobre gaúchos

Fim da vida[editar]

Vencida a última rebelião no sul, Floriano deixou a presidência com a popularidade em baixa, virara motivo de chacota em todo Rio de Janeiro, recolheu-se para para o exílio em sua fazenda onde morreu de desgosto com as piadinhas que faziam com ele, tais como aquelas que ele costumava fazer durante os tempos do império. Mas é como diz o ditado: "Falem bem ou falem mal, mas falem do Marechal aqui". Velhinho levado.

Culto à Floriano[editar]

Após sua morte, ele foi apoteotizado e virou um deus para seus seguidores, mas como tudo no Brasil é moda, eventualmente seus seguidores abandonaram seu culto para adorar outros Homens de Ferro, outros paizinhos, pais dos pobres e companheiros.

Precedido por
Deodoro da Fonseca
Ditador do Brasil
1891 - 1894
Sucedido por
Prudente de Moraes


Revolta da Vaci.jpg
História do Brasil: República Velha (1889-1930)

Eventos que você não se lembra porque não era nascido, e quem era está tão esclerosado que também não se lembra
Proclamação da RepúblicaConvenção de ItuCrise de 1929Café com leiteColuna PrestesCrise do EncilhamentoRevolta da VacinaGuerra de CanudosGuerra do Contestado


Presidentes, ditadores, políticos e outros nomes de rua
Deodoro da FonsecaFloriano PeixotoImprudente de MoraesCampos SalesRodrigues AlvesAfonso PenaNilo PeçonhaHermes da FonsecaVenceslau BrásDelfim MoreiraEpitácio PessoaArtur BernardesWashington LuisRui BarbosaOswaldo CruzMarechal Candido Rondon