Ministério das Cidades

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa
Brasão do Brasil.png
Cabide análogo a prefeitura
Esplanada dos Ministérios, Bloco A – Brasília
Site do Meu Deus, Sério?
Criado em 24 de janeiro de 2004
Orçamento R$ 24,7 bilhões (2019)
Ministro Bruno Araújo (quem?)
Subordinados Companhia Brasileira de Trens Urbanos
Departamento Nacional de Trânsito
® Desciclopédia

Ministério das Cidades (MCidades) também conhecido à nível estadual como Governo estadual ou ainda Prefeitura, é mais um ministério dentre os 39 25 (e ainda é muito) que não tem função nenhuma que não seja a distribuição explicita de cargos e comissões aos aliados governistas, qualquer seja o estado político nacional no momento. O caso do Ministério das Cidades vai além, porque nos permite fazer uma pergunta retórica: Mas afinal, existe toda uma parafernália municipal e estadual, para que então serviria um ministério como esse??? Obviamente que a resposta desta pergunta está nela mesma, ao fim do terceiro ponto de interrogação. Isso mesmo, nada.

Origem[editar]

Paisdetolos.jpg

O ministério das cidades foi o primeiro ato do Lula1-nove-dedos afim de burocratizar ainda mais o já burocratizado Estado brasileiro, atribuindo funções de fachada ao ministério que de tão importante, a Wikipedia nem se deu ao trabalho de fazer mais que um parágrafo para falar dele.

Este foi a primeira medida do Lula Molusco rumo a bolivarianização do Brasil, não bastando o número de cargos inúteis existentes no primeiro escalão do executivo que seu antecessor criou na virada do século, não satisfeito esse infeliz ainda criou outros vários.

Atribuições[editar]

Para dar um ar de importância ao cabide que não possui nenhuma, o governo passou ao ministério a responsabilidade de manter o Denatran e a CBTU, só, coisas que poderiam muito bem serem administradas pelo Ministério dos Transportes.

Ministros[editar]

Entre os cleptomaníacos mais conhecidos a assumirem o comando deste ministério estão o Mário com um Monte de negro, e ele, Gilberto Kassabas que assumiu o ministério antes da Inês da Silva Magalhães tomar conta.

Ver também[editar]