Presunto

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa
Ruth lemos01.jpg Este é um artigo gastronômico.

Ruth Lemos garante: "Esta página tem valor nu-nu-tri-triii... adequado!"


Cquote1.png Experimente também: Sanduíche de presunto Cquote2.png
Sugestão do Google para Presunto

Rolo de presuntinhos frescos. Eca.

Presunto é um daqueles embutidos, que são aquelas carnes compactas, prenssadas, tipo quando algum(a) imbecil quer valorizar suas formas, mas ao ínvés de uma roupa que se ajuste mas, seja confortável, enfia coisas apertadas, para ver se fica com problemas de circulação, varizes e broxa: Então presunto é carne compactada mas que não tem problema porque já está morta.

Diferenças[editar]

O presunto é feito apenas com o pobre porquinho, diferente da mortadela que é parte porco, parte boi e, a mortadela se industrializa quando uma porquinha trai o leitão com um boi, ou uma vaca dá pra um porco... acredite, isso é possível. Mas o presunto é algo que sai de uma relação de fidelidade, não há traição... isso ao menos com espécies diferentes.

O apresuntado tem o mesmo processo mas, as partes do porquinho são aquelas que ninguém quer mais, ou seja: Quando um(a) porquinho(a) está velha demais e não ... pra muita coisa, ela vira apresuntado e, assim pode então ser comida. O apresuntado não é de todo ruim, se for acompanhado de bebida alcoolica, mas pode comer apresuntado, porém se beber não dirija... sua palavra a ninguém com esse bafo de carne ruim com pinga.

Presunto também combina com queijo mas, nesse caso voltamos à travessia da mortadela, que é vaca/porco: Já que leite de porquinha não faz bem o comsumo humano e também é muito pouquinho e faz falta para os filhotes, daí o porquinho se mistura ao leite de vaca, ou seja, nesse caso nem se pode mais falar que mortadela é algo imoral. Se misturar o leitinho da vaca com o presunto, o porquinho nem culpa tem, já que está morto e nem poderá mamar nada, ainda mais qualhado e seco.

Processo de fabricação[editar]

Parte que não era muito apreciada, perdendo até mesmo para a linguiça.
Presuntos feitos de outras coisas que também não deram certo.

O presunto antes de tudo é um cadáver... mas, não humano como em linguagem policial, aliás em desuso pois o Capitão Nascimento não gosta desses termos grosseiros. De qualquer forma, isso é apenas força de expressão, ninguém faz presunto com carne humano desde que a tribo Tupinambá entrou em alfa e, se transformaram nos pacíficos e iluminados Tupi-guaraní, assim deixaram essa fase selvagem e predatória pra trás... mas, quando ainda eram tupinambás, eles não faziam apenas presunto e tudo o mais de javali. Nesses tempos os presuntinhos eram também humanos, aliás, quem ainda pode relatar antes de morrer, disse que a carne humana era bem parecida com a de porco... agora imagine que delícia? O Hannibal também já sabia dessa iguaria gostosa.

Pois, os Tupinambás faziam presuntos e, com os europeus velhos e velhas, eles faziam os apresuntados, ou seja: Eles ensinaram os europeus a fazer embutidos. Inclusive as salsichas eram as mais fáceis de se fabricar mas, depois largaram mão disso em busca de crescimento espiritual e se tornaram mesmo veganos (vegetarianos). Acharam que era melhor ir largando o consumo de carne aos poucos e, a última a ser deixada foi a carne humana, claro que eles pediam perdão à Tupã pelo desperdício.

As coisa mudaram em parte e, os presuntos de hoje, bem como todos os embutidos, não são mais de humanos, mas os relatos registrados contam que eram os mais saborosos, em todo caso, o presunto que é feito de porco, lembra em parte essa delícia não mais apreciada. Por culpa disso agora temos esses cemitérios ocupando um espaço enorme que poderia ser melhor aproveitado mas, com os porquinhos, coitados, nem esperamos que eles vivam e morram, eles vão pro abatedouro ainda, com toda a sua vidinha pela frente... mas, também quem manda serem gostosinhos?