Rollmops

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa
Imagem ilustrativa do Rollmops

Rollmops é uma tradicional porcaria encontrada em botecos e ingerida por pinguços que já não têm mais papilas gustativas, e por isso não percebem a nojeira que estão comendo.

Origem[editar]

O rollmops é de origem germânica-viking. Teria surgido de um barril de arenque apodrecido que foi ingerido pelos marinheiros alcoolizados, que notaram uma viagem muito mais louca quando o comeram.

No Brasil a conserva é feita com peixe podre, cru e com as víceras, enrolado e mergulhado em uma mistura de pinga-brava e fluido de baterias. Alguns gostam de acrescentar ovos de codorna entre o peixe enrolado, cebolas, repolho, brizantão e restos de lavagem.

Costuma-se dizer que o bom comedor de Rollmops devora um vidro inteiro de Rollmops, acompanhado de um litro de caninha Oncinha, bebe o líquido da conserva e sobrevive, algumas vezes, consciente. Há relato de dois sobreviventes até hoje. Alguns acreditam que cerveja quente, aberta na semana anterior e aguada seja o melhor acompanhamento.

Seja qual for a sua escolha, tenha em mente que este perigo extremamente nauseabundo é forte pra danar, e precisa ser muito macho pra devorar um rolinho numa tragada só. Chuck Norris consome rollmops no café-da-manhã, em jejum, com um copo de leite e mel. Thiago Melo come com calda de chocolate. Kaká nunca ouviu falar.

Num estado brasileiro (informação confidencial ainda), 1.178 pessoas foram operadas no ano de 2010 (dados consolidados até julho, segundo o Instituto Brasileiro de Rollmops e Estatística). Mil cento e setenta e sete (99,999%) foram a óbito por sepsis, em virtude da infecção ao redor do palito de dente que encravou no intestino. A sobrevivente (0,001%) resolveu escrever este artigo.

Há relatos que o flato gerado porque quem conseguiu digerir tal iguaria foi capaz de deixar em quarentena um bairro inteiro, por suspeita de radiação.

É muito saboroso, mas muito ácido também. Existem relatos de que o líquido da conserva de rollmops já foi usado para corroer barras das grades em presídios e trancas de cofres. Alcatraz fechou por corrosão, graças a derramamento de líquido de dois inocentes potes dados por uma freira a um serial killer.

Alguns médicos descendentes de alemães receitam aos seus pacientes com prisão de ventre: um vidro de rollmops com chopp quente, no desjejum preferentemente. Esse santo remédio foi descoberto ao acaso (sim, as grandes invenções da humanidade foram acidentais... penicilina, raio laser) por um desconhecido e colocado em uma trova, há 456 anos:

"Se tu tens prisão de ventre

vai pro banheiro a galop's

toma um chopp bem quente e

come um vidro de rollmops"

Receita[editar]

Os rolinhos[editar]

   * 8 filés de arenque podres sem bernes. Opção: com filariose
   * 1 colher de sopa de suor de bode.
   * 2 pepinos-do-mar, ou enguias
   * 1 cebola bem picadinha.
   * 100 g de gordura de porco, rançosa
   * 8 palitos-de-dente usado para tirar cabelo de ralo

Para o caldo[editar]

  • 252 mL de fluido de baterias Moura
  • 128 mL de aguaraz
  • 83 grãos de pimenta preta
  • 4 pêlos de nariz de balconista de bar
  • 4 pilhas eveready vazadas de controle remoto
  • 4 rola-bosta mortos (são 4, não 5, nem 3, pois há uma razão para tal)
  • 2 folhas penas de louro (fundamental para garantir a boa digestão)

1 col. de chá de sal...

Preparo[editar]

Lave bem os filés de peixe com água do córrego que passa atrás do boteco, quando a molecada estiver tomando banho, e besunte o lado interno do filé com sebo de porco.

Misture bem o pepino-do-mar e as enguias picados com a cebola picada. Espalhe em cima de cada filé um pouco dessa mistura e faça os rolinhos prendendo ao final com um palito de dente usado - mesmo que ficará entalado na garganta ou nas tripas.

Coloque os Rollmops em um vidro de maionese vencida vazio, mas sem lavar, deixando os restos dos lados. Coloque os 4 rola-bosta no fundo do vidro, dispondo-os equidistantemente (3, 6, 9, 12h) para temperar a mistura. Não os ingira. Faz mal.

Ferva todos os ingredientes para a calda, com as pilhas, e quando levantar fervura derrame devagar sobre os Rollmops. Importante: as pilhas devem estar oxidadas há pelo menos dois anos.

Os rolinhos precisam ficar cobertos com o líquido. Feche bem o vidro e o enterre por 3 meses no quintal, preferencialmente perto da caixa de gordura, na área de lazer do capa-preta. Uma vela sobre um pano preto confere mais sabor e rito à iguaria e ajuda a localizar o frasco enterrado.

Pronto! Agora pode saborear com os amigos.

Não esqueça de chamar a emergência, antes de começar a ingerir.

Lembre-se: o palito-de-dente NÃO faz parte da porção. Retire-o. Guarde para a remoção de resíduos. Do ralo, após o vômito.

Ver também[editar]